#25 – Aquele que hesita está perdido

No momento em que conhecer todos os prós e contras de uma estratégia, nunca mais vai ter dúvidas daquilo que pensa.

Maior Menor
Por 10 de julho de 2017

Caro leitor,

Como em tudo na vida, para ser bem-sucedido precisa de uma boa estratégia.

Algo tão simples como viajar para um lugar onde nunca esteve, requer uma estratégia (um mapa de como chegar ao destino).

Se deseja perder peso, necessita de seguir uma dieta para concretizar o seu objetivo.

E se quiser ganhar mais dinheiro nos mercados, deve seguir um método comprovado e rentável para escolher ações vencedoras – os nossos assinantes já conhecem a nossa última estratégia de retorno garantido.

_________________________________________________________________________________________________________

Recomendado para si…
Com a OPA sobre o Montepio, a banca portuguesa está a desaparecer do PSI-20.

Será este o mesmo destino do BCP? Nós achamos que não, mas venha conhecer em pormenor o nosso relatório AQUI.

_________________________________________________________________________________________________________

Seguir uma estratégia como esta, que funciona, pode ajudá-lo a atingir os seus objetivos.

E quanto mais a usar, mais à vontade irá ficar com ela, pois as boas estratégias melhoram à medida que são usadas e reusadas.

Ficará mais confiante, sendo o mais provável que continue a usá-la.

E esta é a receita para o sucesso – especialmente quando se tratam de investimentos.

Uma boa estratégia também pode ajudá-lo a superar o maior obstáculo – as suas emoções.

Excesso ou falta de confiança

No que toca aos investimentos, ter excesso de confiança pode ser tão destrutivo como ter falta dela.

Ambos podem levar a uma série de más decisões.

Excesso de confiança

Sabia que, em média, o investidor pensa que é mais inteligente do que o investidor médio? Os investidores tendem a atribuir os ganhos a decisões inteligentes, ao mesmo tempo que imputam as perdas à falta de sorte.

O mais provável é que o contrário também seja verdade – a maioria dos lucros provavelmente podem ser atribuídos à sorte, enquanto que os prejuízos são frequentemente resultado de uma má decisão.

Também é fácil confundir as nossas capacidades quando um mercado tem a mesma tendência por um longo período de tempo, como num mercado touro.

Muitas das más decisões podem parecer que funcionam quando o mercado está a subir vertiginosamente.

Mas, quando este mercado “fácil” acaba, essas decisões infelizes sobressaem e podem arruinar a sua carteira.

Falta de confiança

Estar constantemente a ter dúvidas das decisões que se tomam também não é o melhor.

Muitos investidores, depois de encontrarem uma boa ação, vão tentar superar os sentimentos de dúvida, investigando ainda mais sobre a empresa para arranjar ainda mais razões para comprar.

Inevitavelmente, vão encontrar algo que os faz sentir ainda mais incertos, o que leva a que não comprem a ação, apenas para descobrirem mais tarde que estas, como esperavam, acabaram por subir e eles perderam a oportunidade de lucrar.

De modo a que isto não venha a acontecer da próxima vez, decidem mergulhar de cabeça logo que surge uma nova oportunidade.

Mas a ação cai assim que acabam de comprar e arrependem-se imediatamente da decisão.

Assim, decidem que da próxima vez, irão fazer mais investigação sobre a empresa e revirar todas as pedras antes da próxima compra – e estão de volta à casa de partida, onde excesso de informação e dúvida, eventualmente, acaba num mau resultado.

Ser suficientemente confiante (nem muito, nem pouco) resume-se a saber que estratégia é que funciona e depois executá-la.

Aquele que hesita está perdido

No momento em que conhecer todos os prós e contras de uma estratégia, nunca mais vai ter dúvidas daquilo que pensa.

Na Empiricus, achamos importante dar boas recomendações, mas damos ainda mais importância quando os leitores apreendem a investir connosco e conseguem decidir por si mesmo quais os investimentos corretos para a sua carteira.

Sejam estratégias de rendimento, de capital garantido ou até mais arrojadas, mas que são uma oportunidade de uma vida, temos sempre em consideração explicar-lhe “tim-tim por tim-tim” como executar e o racional por detrás dessa estratégia de investimento.

Em vez de dedicar 100 horas do seu tempo a investigar cada investimento, nós fazemos esse trabalho por si – escusa de fazer o caminho das pedras.

Depois de familiarizar-se com as nossas estratégias de investimento vai sentir-se bastante mais confiante para tomar uma decisão.

Quem sabe, no futuro, o leitor até será capaz de criar as suas próprias estratégias.

Paz de espírito e uma carteira com melhores rentabilidades.

Até para semana,

Diogo Baltazar

Diogo Baltazar, CFA, Analista Financeiro Independente, CMVM

Diogo Baltazar tem mestrado em Engenharia e Gestão Industrial pelo Instituto Superior Técnico. Trabalhou como a analista e trader na área de investimentos da Fidelidade Companhia de Seguros. CFA Charterholder pelo CFA Institute. É analista financeiro independente registado na CMVM.