Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços através da análise dos seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita a sua utilização. Pode obter mais informações ou saber como alterar a configuração, na nossa "Política de Cookies".

Em destaque:

Receba o nosso conteúdo gratuito

Disclosure

Política Interna de Conduta Profissional

Essa é a Política à qual todos os sócios, analistas e demais colaboradores da Empiricus Research Portugal, Lda. (Empiricus Research) estão submetidos. O seu cumprimento visa o bom relacionamento interno e o bom relacionamento entre a empresa e os seus sócios, assegurando a ética profissional, a sustentabilidade do negócio e a eliminação de eventuais conflitos de interesse.

A Política está sujeita a quaisquer leis e regulamentos aplicáveis, nomeadamente o Código dos Valores Mobiliários e o Regulamento da CMVM n.º 2/2007 e será, obrigatoriamente, lida e aceite por todos os sócios, analistas e colaboradores da Empiricus.

A Empiricus Research Portugal, Lda. encontra-se registada na CMVM para o exercício da atividade de análise financeira como pessoa coletiva não intermediária financeira.

Os analistas da Empiricus são associados da Associação Portuguesa de Analistas Financeiros, estando sujeitos ao seu Código de Conduta.

Valores

Os nossos principais valores são expressos sucintamente pelos tópicos abaixo. Entendemos que a promoção desses valores implica uma organização integrada, eficiente e capaz de crescer por meio de resultados sistematicamente superiores.

+ Dedicação ao conteúdo analítico e às suas repercussões, pois aí se centra o núcleo dos negócios.
+ Atenção constante aos clientes atuais e procura por novos clientes.
+ Tomada de decisões visando o longo prazo.
+ Trabalho em equipa, partilhando a presença no ambiente profissional.
+ Programa de partnership fomentado pelos sócios e oferecido aos colaboradores-chave.
+ Filosofia de execução sob alta produtividade.
+ Cultivo e reconhecimento dos talentos internos.
+ Gestão de desempenho, julgando resultados presentes e planeamento dos futuros.
+ Meritocracia.
+ Fomento ao empreendedorismo em todo o corpo de colaboradores.
+ Busca por métricas de excelência e diferenciação frente à concorrência.
+ Comprometimento com custos e foco nas margens.

Princípios

Tal política é formada pelos seguintes princípios, considerados de maneira interseccionada e equiparada em grau de importância:

  1. A) Isenção, imparcialidade e diligência na análise dos ativos e mercados contemplados nos relatórios.
    B) Independência da equipa de análise em relação a outros departamentos existentes na própria instituição.
    C) Veto a funções operacionais e/ou estratégicas desempenhadas por sócios, analistas ou colaboradores da Empiricus Research em relação a atividades diretamente concorrentes ou de âmbito similar.
    D) Estrito cumprimento com as disposições legais aplicáveis, incluindo as relativas ao exercício da actividade de análise financeira e alinhamento quanto às recomendações de boas práticas promovidas pela APAF e pela CMVM no âmbito da elaboração e divulgação do conteúdo de análise financeira.
    E) Equidade de tratamento a toda a base de clientes no que diz respeito à divulgação simultânea de informações relevantes.
    F) Minucioso respeito pelos contratos celebrados por clientes e fornecedores.
    G) Estabelecimento de multas e punições àqueles que violarem os preceitos aqui descritos, por ordem de um Comité de Avaliação composto pelos sócios-administradores da empresa.
    H) O Comité referido no ponto anterior decidirá, de acordo com o seu critério, a relevância da inclusão de novos parágrafos à Política de Conduta aqui apresentada.

 

Derivações

  1. I) Os analistas devem considerar aspectos exclusivamente técnicos durante a elaboração da sua análise. É dever do analista ter uma conduta irrepreensível e divulgar à sua base de clientes todas as informações e análises que julgar relevantes sob o aspecto técnico.
  2. II) A equipa de análise deve localizar-se em espaço distinto de outros departamentos que tenham potencial de influenciar a criação ou divulgação do conteúdo analítico.

III) É imperativo o veto a qualquer relação operacional e/ou estratégica cruzada de sócios, analistas, colaboradores ou de suas pessoas jurídicas, prevalecendo a blindagem de Chinese Wall.

  1. IV) Os colaboradores da Empiricus Research devem tratar a sua base de clientes de forma equânime, observados os detalhes contratuais entre as partes.
  2. V) Todos os colaboradores da Empiricus Research devem estar cientes das obrigações legais e regulamentares aplicáveis, incluindo a regulamentação e todas as orientações e entendimentos emitidos pela CMVM, bem como do Código de Conduta da APAF. Nesse sentido, fica terminantemente proibida a prática de front-running ou de compra e venda de ativos financeiros em incumprimento do estabelecido pelo órgão regulador. Sócios e colaboradores que violarem tal proibição sujeitam-se à imediata saída da Empiricus Research.
  3. VI) A Empiricus Research deve fomentar a formação contínua dos seus profissionais, seja por vias internas, seja através de cursos e experiências externas.

VII) Eventuais situações de violação a quaisquer dos princípios ou derivações serão levados ao Comité de Avaliação supra-mencionado, podendo redundar em diversos graus de sanção ao violador.

VIII) Os membros do Comité de Avaliação comprometem-se a informar as autoridades de supervisão competentes sobre eventuais situações de violação de conduta interna que se enquadrem também no âmbito das normas de mercado.

Disclosure

Os relatórios são propriedade da Empiricus Research Portugal, Lda. (Empiricus). Elaborados por analistas independentes da Empiricus, os relatórios são de uso exclusivo do seu destinatário, não podendo ser reproduzido ou distribuído, no todo ou em parte, a qualquer terceiro sem autorização prévia e expressa da Empiricus.

 

Insira o seu email e receba o nosso Mercado em 5 Minutos