Fim do Bitcoin?

No incrível novo mundo das moedas digitais as coisas mudam muito rapidamente. Até à última segunda-feira, as principais moedas negociavam perto dos máximos históricos…

Maior Menor
Por 11 de Setembro de 2017

Caros leitores,

No incrível novo mundo das moedas digitais as coisas mudam muito rapidamente.

Até à última segunda-feira, as principais moedas negociavam perto dos máximos históricos…

Até que uma notícia abalou com o mercado… e o resultado foi este.

Quedas generalizadas na ordem dos 20%!

O banco central da China disse que as ofertas iniciais de moedas (ICOs) são ilegais e pediu que todas as atividades de angariação de fundos relacionadas sejam interrompidas de imediato, lançando o maior desafio regulatório até agora para o crescente mercado de moedas digitais.

Sendo uma das maiores economias do mundo, é natural que uma proibição como esta tenha um grande impacto na cotação.

Aliás, o “efeito China” não impacta apenas as moedas digitais…

Para quem está acostumado com o dia a dia das bolsas, já viu isso o martelo descer sobre as ações de empresas exportadoras para a China, por exemplo.

Basta os dados de construção civil do país virem abaixo do esperado para as ações de empresas exportadoras de aço desabarem pelas bolsas.

Sendo as moedas digitais uma nova classe de ativos precisamos agora passar a entender as dinâmicas intrínsecas deste mercado.

De cada vez que uma noticia negativa vier à tona, vamos assistir a um aumento da volatilidade nas cotações…

Para quem nos acompanha neste espaço há algum tempo sabe da nossa preferencia por utilizar estes momentos justamente para reforçar uma posição de longo prazo.

Foi assim que muitos dos nossos leitores fizeram durante esta semana.

Foi assim que também aproveitei para comprar mais algumas bitcoins.

Repare, na mesma semana saíram outras noticias que reforçaram a nossa visão de que as moedas digitais vieram para ficar.

É só uma questão de tempo até que a China se tenha de dobrar a esta nova realidade.

Na Inglaterra, por exemplo, alguns senhorios já passaram a aceitar bitcoins para o pagamento das rendas.

No Japão, mais de 260 mil estabelecimentos comerciais já aceitam estas moedas.

Em países como a Venezuela, Grécia e Índia as moedas digitais têm servido de refúgio para o caos financeiro interno.

Alguns dos maiores bancos do mundo como a JPMorgan, Goldman Sachs, ABN AMRO e o Banco central Suiço passaram a adotar esta nova tecnologia.

Em breve, ela irá espalhar-se para outros hemisférios.

Acredito que uma parte do mercado já percebeu isso…

Da mesma maneira que caiu bruscamente na fatídica segunda feira, a bitcoin já regressou ao nível pré-proibição…

Se o leitor não tem certeza de como as comprar ou onde armazenar as suas criptos – não se preocupe.

Na série Criptomania encontrará 6 relatórios e 1 vídeo gravado pelo Pedro.

Reunimos as melhores informações disponíveis no mercado, graças à uma rede privilegiada de especialistas das afiliadas da Empiricus.

Na próxima semana divulgaremos a nossa terceira recomendação de moeda, depois de já termos explicado porque é que gostamos de Bitcoin e Etherum.

Se mesmo assim ainda não está convencido? Sem problemas, eu entendo.

Um dos meus analistas preferidos, Jim Rickards também está cético em relação a esta nova classe de ativos.

Segundo o Jim, a melhor maneira de expor-se a este mercado não é através da compra direta das moedas, mas sim através de uma grande empresa que beneficiará deste progresso.

O Jim é uns dos maiores crânios que já tive a oportunidade de conhecer.

Ele possui uma visão única sobre sobre os conflitos globais, novas tecnologias, guerras cambiais e prevê com bastante antecedência os seus desdobramentos.

Foi a partir dessa visão que recomendámos o investimento em Ouro desde o inicio do ano, e que já lá vai com mais de 18% de ganho.

Para quem ainda não conhece, recomendo fortemente que conheça a série Strategic Inteligence.

A revolução das moedas digitais é inevitável.

Basta apenas escolher como vai surfar e ganhar dinheiro com ela.

Agora fique com os assuntos mais importantes da semana,

Saudações.

Renato Breia, CFP®, Analista-Chefe de Investimentos

Formado em Economia pela PUC-SP e Planejador Financeiro certificado pelo IBCPF. Iniciou a sua carreira como analista de ações na Link Corretora e tem experiência de mais de 12 anos em mesa de operações, gestão de fundos, relações com investidores e alocação de patrimônio.