A maneira mais simples de garantir a sua reforma

Passamos muito pouco tempo a discutir o primeiro e mais importante passo no processo de investimento – a poupança – e o hábito indispensável que o torna possível: a recompensa retardada.

Maior Menor
Por 16 de Junho de 2017

.: A minha missão
.: Assim não dá
.: Para qualquer pessoa
.: Por que é bom adiar
.: Comece agora

00:12 - A minha missão

O meu objetivo no Mercado em 5 Minutos é examinar e explicar todos os aspetos da criação de riqueza.

Todos os dias, olhamos para ações, yields, forex e commodities.

Discutimos taxas de juros, inflação, crescimento económico, desenvolvimento de negócios e políticas governamentais.

Descrevemos a alocação de ativos, seleção de segurança (via seguros e diversificação), custos de investimento e impostos.

Contudo, na minha opinião, passamos muito pouco tempo a discutir o primeiro e mais importante passo no processo de investimento – a poupança – e o hábito indispensável que o torna possível: a recompensa retardada.

01:32 - Assim não dá

Os números do Banco de Portugal e do INE são a prova disso mesmo: os portugueses estão a poupar cada vez menos.

Em 1972, a taxa de poupança das famílias, em relação ao rendimento disponível, chegou a ultrapassar os 30,5%; mas foi descendo e no final de 2016 situava-se em 4,1%, ou seja, em cada 100 euros, poupam 4,10 euros.

Além de pouparem cada vez menos, as pessoas mudaram a sua forma de pensar. Hoje, junta-se dinheiro para planos a curto e médio prazo e não para garantir o futuro mais longínquo, como outrora.

É provável que isto venha a ter consequências terríveis no futuro.

02:09 - Para qualquer pessoa

Qualquer pessoa que tenha investido €190 por mês há 40 anos – e não ganhou nada mais do que o retorno anual médio do mercado de ações nos últimos 100 anos (10%) – teria acumulado uma soma de mais de 1 milhão de euros.

(Se €190 por mês for muito ambicioso, até €47,50 por mês se converteriam em mais de €250.000).

No entanto, a maioria de nós não fez nada disso.

Alguns eram muito pobres (é impossível poupar o que não se possui).

Outros acreditam que a reforma é responsabilidade do Governo.

Outros, simplesmente, não estavam informados sobre o poder da capitalização e do mercado acionista (uma das principais razões porque devemos ensinar literacia financeira básica nas escolas).

No entanto, nem todos podemos usar estas desculpas.

De forma geral, não conseguimos investir porque não poupamos. E não poupamos porque escolhemos a recompensa imediata em detrimento da recompensa retardada.

03:23 - Por que é bom adiar

Infelizmente, adiar a nossa recompensa é a essência da poupança e do investimento.

Sem poupança (capital) não consegue tirar proveito do “capitalismo”.

Já sei. O único sistema que provou que funciona, mas que continua a ser visto como Satanás.

Por favor.

04:10 - Comece agora

Milhares de portugueses acreditam que o Governo deve ser responsável por entregar-lhes a felicidade material que merecem, poupando-lhes o trabalho e o desconforto da luta.

Isso não acontecerá.

Não existe um fundo de segurança da Segurança Social. As pensões são pagas com as contribuições atuais. No futuro, não haverá trabalhadores suficientes para cobrir o aumento das responsabilidades.

Se quer garantir uma reforma confortável, precisa economizar o máximo possível, durante o tempo que for possível, começando assim que puder.

E isso começa com por retardar a sua recompensa.

Depois, passa por investir as suas poupanças inteligentemente. O Carta Empiricus explica exatamente como pode fazer isso.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.