Contas de outro rosário

Pois é, fundamental é coisa de longo-prazo, no curto está tudo montado no trade do trampolim. Quanto mais pesado, mais alto sobe.

Maior Menor
Por 8 de Março de 2016

.: Primavera chegou
.: Matéria-prima
.: Rica prima
.: Prima em segundo grau
.: Aprimorar o orçamento

00:04 - Primavera chegou

O mercado financeiro sofreu uma metamorfose…

O que era larva virou borboleta…

É caso para dizer que a estética levou a melhor sobre o fundamental.

Mas será que está assim tudo tão diferente?

Pois é, fundamental é coisa de longo-prazo, no curto está tudo montado no trade do trampolim.

Quanto mais pesado, mais alto sobe.

primaverachegou

01:03 - Matéria-prima

O grande gatilho desta inversão tem sido o rebound do preço das commodities…

Do petróleo ao minério de ferro, as matérias primas estão a voar…

No caso do ouro negro, desde os mínimos de fevereiro $26,21 para os atuais $37,70, o barril já subiu 44%!

Em percentual a alta é sempre maior que queda.

Ora veja, de €10 para €1 a perda é de 90%. De €1 para €2 a subida é de 100%.

Feitas as contas, (€10 para €2) ainda estaria a perder 80%…

Tudo isto, transformou o setor do Oil&Gas (+4,5% YTD) e basic resources (+19% YTD) do Stoxx 600 (-6,6% YTD) nos mais quentes deste início de ano.

 

02:12 - Rica prima

Será que esta subida é sustentável?

Por partes, os fundamentais continuam deteriorados:

– exportações chinesas afundaram mais de 25% em fevereiro

– reservas de petróleo aumentam

– a diminuição da produção não compensou a entrada do Irão no mercado

Vendo assim, esta subida (parece) mais baseada na esperança do que nos números.

Membros da OPEP iniciaram conversações, mas não decidiram nada.

Sugere que o fenómeno de short-squeeze convenceu o smart money a entrar na febre do petróleo…

O mais provável é ter despoletado a entrada do dumb money.

03:21 - Prima em segundo grau

Esta quinta vamos ter mais Mario Draghi.

Enquanto isso os juros entram em território cada vez mais negativo…

Os portugueses sentem isso na pele e começaram a ignorar os depósitos a prazo…

Mais de um terço dos depósitos nos grandes bancos está à ordem, ou seja, paradinhos na conta corrente.

Não admira que cada vez mais portugueses procurem os depósitos de tudo ou nada…

Normalmente, estão dependentes da performance de um cabaz de ações.

Mas como a diferença é arriscar entre ganhar 0% e ganhar “qualquer coisa”…

“Qualquer coisa” parece sempre melhor.

Lembre-se que “qualquer coisa” tem risco…

04:09 - Aprimorar o orçamento

Na Empiricus não nos cansamos de falar.

O Orçamento não vai ser cumprido (pelo menos a versão inicial) e isso terá impacto na sua carteira.

Da Europa chegam mais umas pérolas…

Depois de Mário Centeno ter garantido na Assembleia que se ia focar na execução do plano A.

Bruxelas garante que as medidas do plano B já não são uma questão de “se”, mas de “quando” terão de ser implementadas…

Conhecendo o ministro das finanças…

É melhor exigirem já um plano C. O esboço do plano B não vai ser suficiente…

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.