De Atenas com amor

O acordo alcançado em Atenas, está em linha com o novo formato de fazer política ao nível europeu… Atira-se dinheiro para cima do problema à espera que ele se resolva sozinho…

Maior Menor
Por 25 de Maio de 2016

.: Sustenta a respiração
.: Politikós
.: Situacionismo externo
.: Período de repouso
.: Leveiro

00:13 - Sustenta a respiração

Sem surpresas, a Grécia ganha (mais) um balão de oxigénio.

Depois do crash na bolsa provocado pelas negociações do ano passado, desta vez os líderes europeus não arriscaram…

Injetaram logo € 10 biliões no paciente…

Na esperança que saia sem cadeira de rodas da Unidade de Cuidados Intensivos…

Quem não está muito contente é o FMI.

A entidade liderada por Christine Lagarde pretendia uma RESTRUTURAÇÃO da dívida helénica…

Posição prontamente rejeitada pelos líderes do Eurogrupo…

Seguem assim mais uma avalanche de euros para a trituradora, sem nenhuma solução de longo-prazo.

m5m25maio1

01:12 - Politikós

A decisão apressada é completamente política.

A Alemanha nem considerou o perdão de dívida como alternativa.

Não porque acredita na capacidade de alguma vez ver o dinheiro que lá meteu, mas simplesmente porque não cai bem junto dos eleitores germânicos.

Então a coisa ficou em banho maria…

O FMI abre mão da restruturação agora e chuta-se a discussão sobre qualquer alívio real da dívida grega para depois das eleições federais alemãs em 2017.

02:14 - Situacionismo externo

O acordo alcançado em Atenas, está em linha com o novo formato de fazer política ao nível europeu…

Atira-se dinheiro para cima do problema à espera que ele se resolva sozinho…

Mesmo assim, sem ser um game changer, o acordo está a ajudar ao sentimento do investidor.

As taxas de juro dos países periféricos relaxaram…

E nas bolsas europeias, o mercado arrebita para cima (principalmente na periferia).

03:10 - Período de repouso

Entramos num período de acalmia no mercado… mas durará quanto tempo?

Já visiono novos desafios aqui mesmo à frente:

– Em junho, teremos a decisão da Reserva Federal e a votação do Brexit…

– Em agosto, o fantasma da falta de liquidez pode despoletar fortes correções.

– Em novembro, as eleições norte-americanas prometem gerar oscilações à medida que são revelados os programas económicos para a maior economia do mundo…

E no meio disto tudo, existirão histórias que ainda permanecem na bruma…

04:12 - Leveiro

Ainda ontem, o presidente do Eurogrupo deu um murro na mesa e afirmou que Portugal poderá ser sancionado pelo incumprimento sucessivo das metas do défice.

O problema é que nos últimos 16 anos, Portugal não cumpriu o objetivo 15 (impressionantes) vezes…

E se em 5 anos Portugal pode alegar que esteve em recessão, nas outras 10 ocasiões foi simplesmente aselhice dos nossos governantes…

Tanto à esquerda como à direita.

Mas se com tantos falhanços nunca fomos sancionados, qual é que acham que foi a resposta do Ministro Centeno?

“(Preocupado?) Não, de todo…”

M5M25052016_2

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.