Em prol dos ETFs

Em 2007, Warren Buffett apostou um milhão de dólares com os gestores do fundo Protégé Partners de que o S&P500 venceria uma carteira de hedge funds na próxima década.

Maior Menor
Por 13 de Março de 2018

.: O veículo de eleição
.: Excesso de concentração
.: Aposta de milhões
.: Alocação de ativos
.: No brainer

00:12 - O veículo de eleição

Não sei se já percebeu, mas eu sou um defensor dos ETFs.

Não há como ser contra….

Primeiro porque a proposta é muito simples: forma democrática, barata e simples de obter diversificação. O investidor paga o mesmo que pagaria ao comprar apenas uma ação e pode dividir o seu pequeno capital em várias posições.

Assim, beneficia dos chamados ganhos de diversificação sem incorrer em grandes custos.

E, segundo, porque se pode expor sem muito custo ao “risco” de ter algumas ações que se podem multiplicar por várias vezes sem precisar de saber muito bem o que está a fazer.

01:03 - Excesso de concentração

Um dos principais erros do “investidor comum” é o excesso de concentração.

Acredite… só existe um Warren Buffett.

Existem vários estudos que o comprovam. Mas não desanime, é um fenómeno global.

Não afeta apenas os investidores portugueses.

Independente da nacionalidade, raça ou religião, todos querem aquela dica excecional, que vai multiplicar-se por 20x.

Alguns até estão dispostos a alavancar-se…

Está aí sem dúvida um caminho rápido e eficiente para a falência.

02:21 - Aposta de milhões

Os ETFs resolvem exatamente este problema e estão disponíveis a qualquer investidor com uma conta bancária.

É curioso como as coisas são.

Recentemente, até o próprio Buffett apostou nos ETFs contra uma carteira de fundos ativos e ganhou!

Em 2007, Warren Buffett apostou um milhão de dólares com os gestores do fundo Protégé Partners de que o S&P500 venceria uma carteira de hedge funds na próxima década.

O seu ETF, que replica a performance do S&P 500, encaixou um ganho anual de 7,1% ao longo dos últimos 10 anos, superando por larga margem o retorno médio de 2,2% da cesta de fundos selecionada pela Protégé Partners.

03:01 - Alocação de ativos

Além disso, lembre-se sempre que a maior parte da outperformance de portfólios financeiros no longo prazo deriva justamente da alocação entre as variadas classes de ativos.

Ou seja, combinar adequadamente a bolsa, obrigações, imóveis e forex é muito mais relevante do que acertar exatamente quais ações comprar.

Isso posto, os ETFs existem para facilitar a construção da carteira, pelo menos para algumas partes do seu portfólio.

Justamente por isto, hoje reforço o convite para conhecer a última recomendação que soltámos na Carta Empiricus.

04:03 - No brainer

Os mercados iniciam esta quarta-feira ligeiramente positivos, dando continuidade à sequência de recuperação dos últimos dias.

Um pouco mais de tranquilidade no noticiário permite a recuperação.

Mesmo assim, o mercado está mais perto do mínimo do ano que do máximo.

Se já queria comprar a 400, a 380 parece-me um no brainer.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.