A grande tacada da Bolsa

Todos queremos dar a próxima grande tacada da bolsa. Sem exceção, queremos encontrar aquela empresa — aquela! — que vai multiplicar por dez em 2018, sobre a qual falaremos até ao fim das nossas vidas.

Maior Menor
Por 11 de Janeiro de 2018

.: Pode ser falsa
.: Parar para reabastecer
.: Pede-se continuidade
.: A grande tacada
.: Mercado imobiliário

00:12 - Pode ser falsa

Pode ser falsa a notícia de que a China está a reduzir as compras de obrigações norte-americanas, contudo dá a ideia de que os mercados ainda estão claudicantes.

Temos uma ligeira recuperação do sell-off de ontem por aqui, suportado em alguns resultados corporativos positivos, mas muito ténue e que pode inverter com relativa facilidade.

Nos juros, as taxas voltam a afundar um pouquinho – nada de extraordinário se considerarmos tudo o que subiram nos últimos dias.

Por fim, os preços do petróleo continuam em máximos de três anos, após os dados divulgados que indicam que o petróleo armazenado nos EUA diminuiu pela oitava semana consecutiva.

01:08 - Parar para reabastecer

Depois de um arranque extremamente forte do mercado em 2018, parece que o rally parou para reabastecer.

Gasolina ou Diesel? Nenhum dos dois.

Os investidores precisam de uma earning season robusta.

Existe muito dinheiro fora do mercado à espera de um motivo para entrar.

Se as empresas europeias conseguirem apresentar um crescimento sólido dos lucros, como uma classe de ativos, então as ações do velhinho continente ficarão especialmente atraentes num mundo de ativos sobrevalorizados.

02:04 - Pede-se continuidade

Embora ainda seja bastante cedo na temporada para determinar para que lado vai pender a balança…

…parece-me claro que o mercado antecipa outro ano de crescimento de lucros.

Repare que, desde a crise da zona Euro, as empresas europeias, como um todo, têm tido dificuldade em crescer, mas 2017 foi uma rutura desse ciclo negativo.

Será que é para continuar em 2018?

03:10 - A grande tacada

Todos queremos dar a próxima grande tacada da bolsa.

Sem exceção, queremos encontrar aquela empresa — aquela! — que vai multiplicar por dez em 2018, sobre a qual falaremos até ao fim das nossas vidas.

É óbvio que cometas volta e meia rasgam o céu, mas é preciso reconhecer que, no longo prazo, isso é secundário.

O importante mesmo é desenvolver uma cultura de investimentos que garanta crescimento e perenidade do seu património.

Essa é a proposta do Diogo: n’As Melhores Ações da Bolsa, ele pede trinta minutos semanais da sua atenção — nada mais. Em troca, vai prepará-lo para investir cuidadosamente o seu dinheiro nas melhores empresas do mercado.

04:05 - Mercado imobiliário

As vendas de casas em Portugal aumentaram entre 25% a 30% relativamente ao ano passado, segundo a APEMIP.

Muito deste crescimento tem sido impulsionado pelo aumento de compra de casa por estrangeiros, principalmente franceses e brasileiros.

Isto colocou os preços de Lisboa e Porto em patamares que já não são acessíveis ao português comum e, em alguns casos, já excedem o valor fundamental.

Em vez de cometer loucuras…

O Artur encontrou uma terceira onda que, até aqui, tem sido ignorada por grande parte dos investidores imobiliários. Vale a pena dar uma olhadela.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.