Hoje escrevo eu

Hoje pedi ao Pedro para escrever o M5M. Não conseguia mais ficar calado. Recomendámos no Carta Empiricus um investimento simples. Nada exótico.

Maior Menor
Por 15 de Maio de 2017

.: Com a licença na voz
.: A ficção imita a realidade
.: A minha opinião
.: O nosso compromisso
.: As melhores corretoras

00:12 - Com a licença na voz

Hoje pedi ao Pedro para escrever o M5M.

Não conseguia mais ficar calado.

Recomendámos no Carta Empiricus um investimento simples. Nada exótico.

De seguida, recebemos um e-mail de um assinante… que não conseguiu comprar este título – um aborrecido fundo imobiliário negociado em bolsa (REIT) – através do seu corretor habitual.

Eu acredito piamente que o corretor lhe mentiu sobre as verdadeiras razões porque não é possível executar a ordem.

Para completar, o corretor ainda fez um comentário jocoso sobre a Empiricus.

Este até pode ser um incidente isolado. Mas eu duvido.

E agora estou curioso sobre a extensão do problema… porque os sinais apontam para um fenómeno crescente no setor financeiro.

01:09 - A ficção imita a realidade

Isto até seria engraçado se não fosse tão sério.

No final, o leitor fica a achar que nós somos os maus da fita e que recomendámos um produto “inadequado”.

Quando, na verdade, a realidade é exatamente a oposta…

Deixe-me contar o que realmente está a acontecer aqui.

Isto não tem nada a ver com a “minuciosa” due diligence feita pelos bancos. Em vez disso, é uma forma de chantagem…

Eu entendo o ponto da due diligence. Se alguém recomendar um ETF triple-leveraged de Bitcoin que negoceia no Dubai, eu posso entender por que não seria aprovado para os clientes.

Mas estamos a falar de um REIT altamente negociado. Não faz sentido.

Entretanto, como não conseguiu comprar, o REIT já disparou…

 

02:33 - A minha opinião

Posso não estar a ser completamente rigoroso, estou a especular aqui…

Mas eu já trabalhei do outro lado. Com efeito, a corretora não ganha muito dinheiro quando um cliente compra REITs ou ETFs.

Assim, criam-se todo o tipo de dificuldades ao investidor que quer fugir das aplicações recomendadas.

Existem outras razões possíveis, por exemplo, a corretora pode ter uma melhor relação financeira com outra empresa de ETFs diferente. Não tenho certezas. Eu só sei o que está errado neste caso.

Vamos a um ponto. É bom um banco tentar ganhar mais dinheiro.

Mas que seja honesto sobre isso.

Não é preciso mentir sobre as razões, quando no fundo só não permite que os seus clientes comprem porque quer fazer mais dinheiro.

Este banco está a provar exatamente por que é que eu estou neste negócio…

03:01 - O nosso compromisso

O meu único compromisso é consigo, meu caro leitor.

A única maneira que eu recebo é através das assinaturas que vendemos.

O CARTA EMPIRICUS escrito pelo Pedro, As MELHORES AÇÕES do Diogo e as análises precisas do JIM RICKARDS.

Se eu não fizer um bom trabalho, então perco a sua assinatura. A relação é simples e clara.

As minhas recomendações não são restritas com base no que uma empresa de corretagem oferece.

Eu não tenho qualquer incentivo para escolher um produto que gera comissões mais elevadas para lhe recomendar porque não ganho nada com isso.

Eu não tenho que vender produtos “da casa” porque não há “casa”.

Em suma, eu não coloco a corretagem em primeiro lugar e o meu cliente em segundo lugar.

Sou eu e você…

Dou simplesmente o meu melhor conselho, da mesma forma que gostaria de ser tratado se os nossos papéis fossem invertidos. Se gosta do meu trabalho, então renova a sua assinatura.

Se não gosta, então pede para sair. Simples.

04:09 - As melhores corretoras

Eu tenho feito isto há vários anos. Ao colocar os leitores em primeiro lugar, o nosso negócio tem crescido para o que é provavelmente o maior do seu tipo no mundo de língua portuguesa.

O meu desejo é que perceba porque é que este tipo de situações me deixa angustiado.

Quando uma corretora “adapta” a verdade a um cliente, que depois me culpa…

Está errado a todos níveis.

O que vale é que a maioria das corretoras vão deixá-lo comprar o REIT chato que recomendámos.

Se a sua empresa de corretagem não deixar, então deve levantar uma red flag… E encontrar outro corretor o mais rápido possível.

Na área do assinante de qualquer um dos produtos, você encontrará as 3 que consideramos melhores.

Renato Breia, CFP®, Analista-Chefe de Investimentos

Formado em Economia pela PUC-SP e Planejador Financeiro certificado pelo IBCPF. Iniciou a sua carreira como analista de ações na Link Corretora e tem experiência de mais de 12 anos em mesa de operações, gestão de fundos, relações com investidores e alocação de patrimônio.