Imagens reais

Parece quase surreal (sem querer ofender o Salvador Dali) que a mesma coisa que fez a banca cair, faz agora o setor subir? Então as taxas negativas não são prejudiciais à rendibilidade dos bancos?

Maior Menor
Por 14 de Março de 2016

.: Surrealismo acionista
.: Carry over positivo
.: Casal Kanye-Kim
.: Incentivo ao despesismo
.: Para quem quer comprar casa

00:09 - Surrealismo acionista

Definitivamente o mercado adora a retórica de Mario Draghi.

Estímulos, estímulos e mais estímulos.

O rali dos últimos dias, leva-me a crer que os investidores acreditam que a abundância de liquidez vai instigar a recuperação dos indicadores macroeconómicos.

Parece quase surreal (sem querer ofender o Salvador Dali) que a mesma coisa que fez a banca cair, faz agora o setor subir?

Então as taxas negativas não são prejudiciais à rendibilidade dos bancos?

Ninguém quer saber… Agora é hora de rali.

Salvador Dali

01:03 - Carry over positivo

A alta de sexta, teve um efeito auspicioso no fim-de-semana.

Investidores acordaram com sorriso na cara: afinal os principais índices ainda estão negativos no ano.

“Muito espaço para subir” – pensam eles.

Quanto mesmo? pergunta o leitor mais distraído…

No ano, Itália cai 10%, Espanha perde 4% e Alemanha desliza 7%…

Hoje, talvez por causa disso, DAX encaixa mais +1,5% e periféricos (Itália, Espanha e Portugal) arrebitam +0,5%…

02:12 - Casal Kanye-Kim

No par cambial mais famoso do mundo… a opção é: esperar para ver…

Depois de uma reação espetacular ao anúncio de mais estímulos na zona Euro.

Em que o EUR/USD tocou nos 1,08 dólares. Na ressaca, o euro voltou a subir e cota hoje nos 1,11 dólares.

Ou seja, mais euros não é sinónimo de euros mais baratos (ou dólares mais caros).

Talvez o mercado já esteja a descontar que a Dra. Yellen vá fazer os seus dólares mais acessíveis…

Ou será que os traders de forex sabem mais do que os acionistas?

Se o EUR não desvaloriza, então de onde é que vem a tão desejada inflação?

03:02 - Incentivo ao despesismo

A febre do BCE: está a ter um tremendo impacto na dívida portuguesa.

Falámos várias vezes aqui no M5M deste fenómeno…

O Governo faz trapalhada, mas o BCE vem e limpa a porcaria.

Ao aumentar o valor de compras mensais de dívida portuguesa, as taxas (no curto-prazo) só têm um sentido…

Para baixo…

Enquanto isso, António Costa irá aproveitar a oportunidade para se autopromover…

Já o estou a imaginar: “a virada de página pode ser feita com a descida das taxas”…

O leitor do M5M pelo menos já não vai na cantiga… afinal há mais mérito italiano que português. Aliás, se tivéssemos evitado a novela do

Orçamento, hoje pagaríamos 1% a 10 anos… mas como não existe o contra-fato, fica aqui só o desabafo.

grafico14mar

03:59 - Para quem quer comprar casa

No credito à habitação, as bombas de Draghi também vão abalar as estruturas dos spreads bancários.

Como falei no Mr. Boombastic de sexta-feira, a ordem é para emprestar.

E se o Banco A quer emprestar mais que o Banco B, a forma mais fácil de atrair clientes é baixar o spread…

Esta competição promete gerar oportunidades para quem anda à procura de crédito…

Claro que é um processo demorado.

Mas ao longo do ano, vamos atualizando-o sobre os desenvolvimentos nas taxas.

P.S. Já sei, nem falei do PSI20. Prometo que falo amanhã.

 

Leia o Nosso Relatório de Imóveis, aqui

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.