Indecisão 2015

Se há alguma coisa que aprendi ao longo destes anos é que o mercado não gosta de incerteza. Numa análise feita pela Bloomberg, em que foram ouvidos vários analistas e investidores, as suas principais preocupações residem na capacidade do próximo Governo de implementar reformas e durar toda a legislatura.

Maior Menor
Por 20 de Outubro de 2015

.: Juros da dívida publica portuguesa a 10 anos nos últimos 30 dias
.: Casa de partida
.: Ilha no mediterrâneo
.: Relax
.: Buraco Negro

00:21 - Juros da dívida publica portuguesa a 10 anos nos últimos 30 dias

juros-divida-p-port

Juros da dívida publica portuguesa a 10 anos nos últimos 30 dias

Fonte: Bloomberg

Caro Leitor,

Se há alguma coisa que aprendi ao longo destes anos é que o mercado não gosta de incerteza.

Numa análise feita pela Bloomberg, em que foram ouvidos vários analistas e investidores, as suas principais preocupações residem na capacidade do próximo Governo de implementar reformas e durar toda a legislatura.

Um governo minoritário de direita ou de esquerda terá sempre dificuldade em aprovar medidas difíceis e o desfecho poderá ser novas eleições.

Os juros da dívida portuguesa não param de subir desde dia 4 de Outubro (dia das eleições), e este movimento só não é mais acentuado, porque o Banco Central Europeu está activamente a comprar dívida pública portuguesa.

Em suma, o cenário que temos à nossa frente não é o ideal para um bom ano no mercado de ações nacionais.

 

01:21 - Casa de partida

Hoje queria chamar-lhe à atenção de um tema que não é do conhecimento público. Mas que eu acho que você devia ficar a saber.

Quando em Março, o Banco Central Europeu deu início às compras de dívida soberana o grande objetivo era reduzir os custos de financiamento dos Estados membros.

No entanto, e no caso de Portugal, os bancos nacionais decidiram aproveitar a boleia e aumentar a sua exposição aos títulos de dívida pública.

O racional dos bancos está correto. A procura de crédito em Portugal está minguante então os bancos compram dívida pública de forma a aumentar a sua rendibilidade.

Um dos problemas óbvios é que, mais uma vez, temos exatamente os bancos na mesma situação em que estávamos quando se iniciou a crise.

Quando um país entra em dificuldades, o seu sistema bancário como é um seus maiores credores também entra em dificuldades.

Voltámos à casa de partida.

02:35 - Ilha no mediterrâneo

O Conselho do Banco Central Europeu irá reunir-se está quinta-feira na ilha de Malta para a sua já habitual reunião mensal.

Os ares insulares, prometem boas novas na política monetária da zona Euro.

Em cima da mesa está a possibilidade de um aumento dos estímulos como resposta as crescentes preocupações com a deflação nos Estados membros, a desaceleração do crescimento na China e a instabilidade do mercado de ações.

O plano anunciado em Março, de que Mario Dragai apelidou de bazuca, teve o condão de desvalorizar o Euro para os $1.05. No entanto, desde essa data a moeda tem paulatinamente valorizado e já transaciona perto dos $1.14.

Se nada for feito, a moeda Europeia deverá continuar a sua valorização face ao dólar.

03:54 - Relax

As bolsas europeias respiram hoje um bocadinho, depois das subidas verificadas nas últimas três sessões.

Os investidores europeus aguardam com antecipação as notícias que poderão vir de Malta esta quinta-feira.

04:47 - Buraco Negro

Na Grécia o projeto de lei de recapitalização dos principais bancos deverá ser inferior a €20B.

O primeiro ministro grego reiterou na sexta-feira que a projecto terá de ser concluída até o final do ano, antes que as novas regras que obrigam os depositantes a participar na recapitulação dos bancos entre em vigor.

Quando ainda se está para apurar os custos da “salvação” do antigo BES, resta saber qual vai ser a fatura para o contribuinte.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.