Jogador ou Investidor?

Quero aproveitar o momento para refletir nos paralelismos entre a seleção e os investimentos… Estranho? A Empiricus nunca diz o que é suposto.

Maior Menor
Por 7 de Julho de 2016

.: Vamos lá cambada
.: A prova dos 9
.: Pontapé para as nuvens
.: Exemplo prático
.: Mude a password

00:12 - Vamos lá cambada

Já estamos na final!!

Admito que era um dos céticos, mas tenho de dar a mão à palmatória: Fernando Santos conseguiu o improvável.

Com mérito ou sem ele… Estaremos em Paris no dia 9 com a ambição de levar o caneco para casa.

Esta baforada de confiança até ajuda a praça lisboeta: PSI20 sobe 2%! A melhor performance na Europa.

Quero, no entanto, aproveitar o momento para refletir nos paralelismos entre a seleção e os investimentos…

Estranho?

A Empiricus nunca diz o que é suposto.

01:05 - A prova dos 9

Excelência ou casualidade?

Essa é a million-dollar question na seleção e no mercado.

Será que Fernando Santos merece os louros ou será que beneficiou de uma conjuntura que lhe permitiu chegar à final sem enfrentar nenhum dos favoritos?

Quando o investidor acerta numa ação que acaba por ter um retorno fantástico… tomou essa decisão com base num racional fundamentado ou foi um golpe de sorte?

A literatura que existe sobre o tema é vasta e produz resultados paradoxais.

Em alguns estudos, uma seleção de ações aleatórias batia a performance de uma triagem feita por profissionais… outros dizem o contrário…

Uma coisa é certa, no curto-prazo a sorte pode esconder muita coisa. No longo-prazo, o tempo dará razão ao investidor mais bem-preparado.

02:19 - Pontapé para as nuvens

Aos 26 minutos, Cédric permite a 11 milhões de pessoas (contas do departamento de marketing da FPF) empregarem a expressão “3 pontos para o País de Gales”.

Este remate “para as couves” ensina que às vezes o excesso de confiança pode ser perigoso.

Vamos ao paralelismo…

Daniel Kahneman, prémio nobel de economia e considerado um dos maiores especialistas em finanças comportamentais, comenta que o excesso de confiança está muito presente na comunidade de investidores…

Muitos superestimam os seus conhecimentos e acreditam que são capazes de controlar o mercado financeiro, o que no geral leva a um final trágico.

Quem ainda não teve a oportunidade de assistir o vídeo do evento que fizemos no Brasil com esse grande economista, veja aqui.

03:34 - Exemplo prático

O maior exemplo disso são pessoas que acham que, se toda a vez que arriscarem 1 euro para ganhar 2, elas terão sucesso.

No entanto, não levam em conta questões probabilísticas.

Se apenas em 10% das vezes o indivíduo ganhar 2 euros e em 90% das outras vezes ele perder 1 euro, o seu saldo será negativo.

Isso ocorre porque [0,10 x 2 + 0,90 x (- 1) = – 0,7]. No entanto, muitas pessoas nem sequer pensam nisso.

Outros, quando acham que têm a possibilidade de ter rendimentos acima da média de mercado, acabam por comprar e vender demasiadas vezes.
Isso no geral leva a um grande aumento dos custos operacionais (naturalmente prejudica a sua performance).
És um jogador ou investidor?

05:22 - Mude a password

Odean e Barber descobriram que os investidores que mais faziam negociação tendiam a ter resultados piores.

Parece um paradoxo? A pessoa que mais acompanha o mercado e faz mais operações não é necessariamente a que ganha mais dinheiro.

O que de facto acontece é justamente o contrário!

Outro facto interessante é que os homens tendem a ter resultados piores que as mulheres, por se acharem mais confiantes.

Não diga nada à sua esposa, se não fica sem os códigos de acesso do seu home broker.

M5M070716

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.