Mais sorte que competência

Toda a gente conhece alguém que fez uma aposta arriscada no mercado financeiro e que, quando a sua ideia se materializou, acabou por parecer um génio.

Maior Menor
Por 14 de Fevereiro de 2018

.: Génio dos mercados
.: Moeda ao ar
.: Histórias alternativas
.: Esquece o alpha e foca-te no beta
.: Competência de um gestor

00:10 - Génio dos mercados

Toda a gente conhece alguém que fez uma aposta arriscada no mercado financeiro e que, quando a sua ideia se materializou, acabou por parecer um génio.

Sim… comprou aquela empresa toda rebentada que, de repente, foi alvo de uma OPA e viu o seu capital multiplicar por 3x de um dia para o outro.

Claro que depois do negócio acontecer, o visionário afirma que “estava mesmo a ver-se que alguém ia biddar”….

Contudo, devemos – para o bem da nossa saúde financeira – reconhecer que o sucesso, nestes casos, deveu-se mais à sorte do que à competência.

01:09 - Moeda ao ar

Não me esqueço de reforçar aqui que o mundo dos investimentos não é ordeiro nem lógico, onde o futuro consegue ser previsto e onde determinadas ações resultam sempre nos mesmos resultados.

Com efeito, a sorte tem uma grande influência na trajetória dos seus investimentos.

Por mais que se usem expressões sofisticadas para esconder a aleatoriedade dos movimentos dos ativos financeiros, a fortuna pode estar dependente de um lançamento da moeda ao ar.

02:01 - Histórias alternativas

Taleb introduziu o conceito de “histórias alternativas” para explicar a diferença entre ganhar com mérito ou com sorte…

Ou seja, cada vez que olhamos para um exemplo de sucesso devemos sempre considerar os resultados alternativos que podiam ter acontecido com a mesma facilidade…

Por exemplo, o tal amigo do primeiro minuto poderia ter perdido todo o seu investimento numa empresa que estava às portas da falência…

Aliás, esse era o prognóstico mais provável no momento da compra.

O seu colega que conseguiu multiplicar o seu património por 3x paulatinamente através de análises cuidadas, obteve o mesmo retorno, mas qualitativamente diferente.

03:09 - Esquece o alpha e foca-te no beta

Sendo assim, no curto prazo, uma grande parte do sucesso no mundo dos investimentos pode acontecer simplesmente pelo facto de estar no lugar certo à hora certa…

Daí que investidores com um perfil mais agressivo no timing certo, não precisem de tanta mestria.

Isto é especialmente verdade em períodos de grande expansão económica.

Os altos retornos vão normalmente para aqueles que tomam maiores riscos. Ou em financês, esquece o alpha e foca-te no beta.

Contudo, este comportamento não nos diz nada sobre a sua competência enquanto investidores.

04:02 - Competência de um gestor

Em suma, os investidores estão certos (ou equivocados) várias vezes pelas razões erradas.

O João compra ações porque acha que a empresa X vai comunicar um aumento do dividendo; o anúncio não acontece, mas a ação sobe na mesma. O João fica bem na figura (e, invariavelmente, assume o crédito da decisão).

A lição aqui é que o acerto na compra ou venda não pode ser julgado, simplesmente, pelo resultado.

Assim, é essencial avaliar vários anos de decisões, antes de aferir a competência de um gestor.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.