O hábito faz o monge

Entender o poder de um hábito – seja positivo ou negativo – é o primeiro passo para compreendermos por que é que os nossos resultados também são, invariavelmente, positivos ou negativos.

Maior Menor
Por 21 de novembro de 2017

.: Análise à sua vida financeira
.: Lar doce lar
.: Paris fica aqui tão perto
.: Missão Empiricus
.: Latão negro

00:12 - Análise à sua vida financeira

Entender o poder de um hábito – seja positivo ou negativo – é o primeiro passo para compreendermos por que é que os nossos resultados também são, invariavelmente, positivos ou negativos.

Esta análise é fundamental em todas as áreas da nossa vida, seja num simples processo de emagrecimento, na construção de uma carreira ou na gestão dos seus investimentos.

Para os hábitos contraproducentes, perceber como desconstruí-los e, em seguida, substituí-los por rotinas mais saudáveis, constitui-se no passo essencial para a sustentação de resultados positivos.

01:12 - Lar doce lar

De todas as ordens inseridas em bolsa no território nacional, cerca de metade ainda são direcionadas para ações nacionais (EDP, GALP, Jerónimo…).

Apesar da destruição de valor verificada nos últimos anos no PSI20.

O investidor português continua enamorado pelos títulos da praça lisboeta.

É o que eu gosto de chamar de “zona de conforto”.

Ora, o dinheiro não tem nacionalidade. Ganho aqui ou lá fora, deixa-o comprar exatamente a mesma coisa.

02:25 - Paris fica aqui tão perto

Uma das maravilhas de estarmos ligados à Euronext é que um investidor com uma conta em qualquer banco em Portugal, está à distância de um clique das principais praças mundiais com um preçário interessante.

Agora até existem umas corretoras que têm preçários tão baixos que o investidor até desconfia.

É por essa razão que disponibilizamos a todos os nossos assinantes um guia das melhoras corretoras a operar em Portugal.

Regressando à conversa…

O argumento mais utilizado pelos meus amigos quando lhes pergunto por que é que os únicos investimentos em bolsa que têm são de ações portuguesas, é sempre o mesmo: não sei o que fazem as empresas estrangeiras.

03:01 - Missão Empiricus

É neste momento que eu apelo ao bom senso das pessoas.

Olhem-se ao espelho!

Que casaco é que estás a usar?

Que telemóvel é esse? Que sites frequentas? Que carro conduzes? Que eletrodomésticos tens lá em casa?

Provavelmente conheces muito melhor a Zara, a Samsung, o Facebook, a BMW, a Whirpool, do que pensas…

Conheces até melhor que a Altri, a Mota-Engil ou que a EDP Renováveis; empresas com sede em Lisboa, mas que não sabes muito bem o que fazem.

A nossa missão aqui na Empiricus continua a ser a mesma desde o primeiro dia: mudar os hábitos que o impedem de construir um património sustentável.

Para isso, falamos aqui diariamente dos principais temas do mercado e apresentamos-lhe ideias de investimento. Entre as quais, o Diogo fala-lhe das empresas em que deve investir.

04:09 - Latão negro

Lá fora, o mercado tenta novamente arrepiar caminho.

As bolsas sofreram uma forte correção neste mês de Novembro e tentam manter-se à tona da água…

Como é da praxe, para cima ou para baixo, no mesmo sítio não vão ficar.

Como este M5M já está bem extenso, e de certeza que não é hoje que vai subir tudo, eu amanhã vou falar-lhe das reais possibilidades de um rally do Pai Natal.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.