Panorama político

O panorama de indefinição política só acrescenta mais volatilidade aos mercados. Sem uma estratégia orientadora, as decisões de investimento são adiadas…O que por sua vez, leva a uma diminuição do consumo e resvala para as perspetivas de crescimento…

Maior Menor
Por 23 de Fevereiro de 2016

.: Quero mais, muito mais
.: Tratamento diferenciado
.: Fica tudo na mesma
.: Crise política
.: Trajetos opostos

00:15 - Quero mais, muito mais

Jamais subestime a ganância humana.

Depois de Cameron negociar um estatuto ainda mais especial para o Reino Unido…

Boris Johnson (o sucessor do primeiro) já garantiu que vai fazer campanha pela saída do RU da União Europeia.

Engane-se quem pensa que ele quer o país fora da União.

Está tudo na arte de negociar…

Se conseguirem que o povo britânico vote no Brexit, ainda terão mais força nas próximas negociações.

Cameron cartoon

00:59 - Tratamento diferenciado

A conclusão disto tudo é que as autoridades europeias são macias…

Com os pequenos, as táticas de bullying político resultam…

Com os graúdos, a conversa já é outra…

Justamente, a Alemanha voltou a violar as orientações da Comissão Europeia.

No caso deles, o saldo da balança corrente atingiu novo recorde (252 mil milhões de euros), cerca de 8,3% do PIB (o limite são 6%).

O fraco consumo dos germânicos cria graves desequilíbrios económicos na zona Euro…

Já foram avisados mais de uma vez e continuam a fazer o mesmo…

Merkel não parece minimamente preocupada com as represálias.

01:42 - Fica tudo na mesma

No outro espetro, nos países com deficits, o panorama político está a mudar e tem tudo a ver com a comunicação…

O marketing da austeridade já está gasto.

Metas orçamentais, orçamento, impostos, enfim…

Nem mesmo na Irlanda, onde o programa teve um sucesso estrondoso.

A ilha prepara-se para crescer 4,8%(!) em 2016 e a taxa de desemprego está nos 8,6%…

O atual governo de direita não vai conseguir ser reeleito…

Na Espanha, a situação é idêntica e também se configura uma virada à esquerda.

02:34 - Crise política

O panorama de indefinição política só acrescenta mais volatilidade aos mercados.

Sem uma estratégia orientadora, as decisões de investimento são adiadas…

O que por sua vez, leva a uma diminuição do consumo e resvala para as perspetivas de crescimento…

Se juntarmos a isto o hard landing chinês e a capacidade da banca de gerar retornos…

A misturadora cospe a palavra que os mercados odeiam: recessão.

Claro que estes movimentos só têm impacto lá na frente, hoje por exemplo, as bolsas estão sem tendência definida.

03:55 - Trajetos opostos

A Comissão Europeia exigiu um plano B, mas o governo fez orelhas moucas.

É um caso clássico de ilusionismo invertido…

Pomba na mão e nada na manga.

Sem um truque escondido, não há muita margem de manobra…

Do lado da despesa, os parceiros do governo não gostam muito de mexer, do lado dos impostos, o Governo garante que não aumenta…

Caso a execução começa a falhar, não restam muitas soluções (se não mais impostos).

É neste cenário que as palavras de Durão Barroso, antigo presidente da Comissão Europeia, assumem especial importância: “Agora não estou na política e a minha sinceridade está sempre a aumentar” …

Não posso deixar de concordar.

O nosso Ministro das Finanças entrou há pouco na política e a sinceridade está sempre a diminuir…

centeno

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.