Parque de diversões

O FMI reiterou que a Grécia não será capaz de fazer os seus pagamentos. E, do lado de lá, a Grécia insiste que o FMI está errado, mas admite que um perdão de dívida até daria jeito…

Maior Menor
Por 10 de Fevereiro de 2017

.: Todos juntos
.: Ninguém quer saber
.: Mais do mesmo
.: Arrancar o penso
.: Por falar nisso...

00:08 - Todos juntos

Entre idas e vindas, chegou finalmente a notícia que o mercado queria ouvir: o cartel do ouro negro alcançou a melhor taxa de conformidade da sua história num pacto para expurgar o excesso de petróleo.

Os membros da OPEC conseguiram implementar 90% dos cortes prometidos, logo no primeiro mês do seu acordo…

Destaque para a Angola que reduziu 140%…

Se confirmado – e o tempo dirá -, ótima notícia para as empresas do setor.

No entanto, nada me convence de que há um descompasso entre as políticas monetárias e o aumento do preço do petróleo.

Com o ressurgimento da inflação e escalada do preço dos combustíveis, taxas de juro terão de subir inevitavelmente. Pelo menos seria essa a lógica. Aguardemos.

01:22 - Ninguém quer saber

Constatei, nos últimos dias, que o mercado simplesmente não mostra qualquer sinal de correção, nem mesmo 1%… Métricas fundamentais são completamente desprezadas, medidas de análise técnica não são mais relevantes (RSI, Fib, MACD)…

Para tempos “normais”, o mercado está estupidamente overbought.

Mas isto não são “tempos normais”, pois não?

À custa da maior experiência monetária da história, o mercado encolhe os ombros, como se nada pudesse correr mal. Autoengano?

Na minha humilde opinião, já estamos muito além do ponto de insanidade, então o mercado torna-se too big too fail.

Os bancos centrais, simplesmente, não têm coragem de deixar os índices corrigirem para valores mais razoáveis.

E, neste ínterim, o parque de diversões está aberto 8h por dia… 252 dias por ano.

02:23 - Mais do mesmo

Para não variar, mercados seguem em ligeira alta lá fora, titubeantes entre resultados corporativos favoráveis e pressão por realização de lucros depois do rally recente.

Por aqui, além de repercutir os elementos supracitados, PSI20 digere a saída de mais um nome relevante da praça lisboeta. BPI, o agora banco portunhol, não tem liquidez suficiente para preencher os requisitos mínimos do PSI-20.

Isto significa que o principal índice de referência nacional volta a ser desmembrado, restando apenas 17 cotadas.

A revisão para recompor o PSI-20 ocorrerá em março.

Entretanto, as favoritas para um wild-card na “superliga” vão levar uma puxada. Prepare-se.

 

03:09 - Arrancar o penso

Enquanto o mercado segue despreocupado, a odisseia helénica não parece ter um fim à vista.

Aqui entre nós, o jogo que se brinca na Grécia está cada vez mais bizarro…

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, foi à televisão dizer que a única maneira de a Grécia conseguir um indulto é se abandonar a zona Euro.

O FMI reiterou que a Grécia não será capaz de fazer os seus pagamentos.

E, do lado de lá, a Grécia insiste que o FMI está errado, mas admite que um perdão de dívida até daria jeito…

Sou só eu? Ou está na cara que a Grécia não se vai aguentar na moeda única…

Seja agora ou empurrando o problema com a barriga. O desfecho parece inevitável.

Resta saber como é que isso nos vai impactar.

04:02 - Por falar nisso...

Já estava a ultimar este M5M quando saíram os dados do aumento de preços no consumidor em janeiro.

O headline é este:

Segundo os dados divulgados pelo INE: “inflação em máximos de 2012 com subida dos combustíveis”.

Se não percebeu o impacto. Releia o primeiro minuto…

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.