Piratas das Berlengas

Se deste lado do Atlântico o discurso monetário endureceu, do outro lado suavizou…. Yellen sinalizou que a Fed não terá pressa em subir os juros enquanto a inflação se mantiver abaixo da meta pretendida.

Maior Menor
Por 13 de julho de 2017

.: Who let the dogs out?
.: Empresas de qualidade
.: Bola de cristal
.: Não é óbvio
.: Pequena porção

00:12 - Who let the dogs out?

Se deste lado do Atlântico o discurso monetário endureceu, do outro lado suavizou….

Yellen sinalizou que a Fed não terá pressa em subir os juros enquanto a inflação se mantiver abaixo da meta pretendida.

Instintivamente, as bolsas norte-americanas dispararam em alta, com o Dow Jones a marcar novos máximos.

Palavras para quê?

Comprar bolsa passou a ser um reflexo pavloviano.

01:20 - Empresas de qualidade

Sendo assim, o investidor tem duas escolhas:

1. Compra boas empresas e tapa os ouvidos ao ruído de mercado.

2. Tenta adivinhar o que vai na cabeça dos líderes dos bancos centrais.

A primeira hipótese é, comprovadamente, a única estratégia que funciona.

A segunda exige dons de adivinhação.

02:06 - Bola de cristal

Se há um lugar no qual não pode procurar por indicações sobre a direção dos ativos financeiros, é no noticiário económico.

A missão diária do jornalismo financeiro é explicar em manchetes de sete palavras por que é que o mercado subiu ou desceu.

No entanto, a economia global é demasiado complexa para ser encaixada num discurso de 2 minutos ou num artigo de 500 palavras.

Se o mercado subir hoje, uma boa notícia será assinalada. Se cair, aponta-se para um qualquer facto negativo que aconteceu no dia.

Nenhuma prova será proporcionada para a suposta causa/efeito.

03:04 - Não é óbvio

É inegável, porém, que, aos preços atuais, não é tão óbvio comprar bolsa, principalmente no curto prazo.

Já sobe há muito tempo e de forma intensa (aliás, como acontece sempre; volto a insistir que poucos dias fazem a diferença e não há nada linear/gradual em bolsa).

Comparando com as mínimas de 2012, os valuations (avaliações de preço) realmente não parecem atrativos.

E há riscos importantes no horizonte…

Os desequilíbrios estruturais na China vão continuar para sempre ou terão de ser reconciliados? Qual é a próxima patacoada de Trump? Aliás, quem é, de facto, Donald Trump?

O Fed será mesmo tão permissivo em relação aos sinais inequívocos de aquecimento da economia dos EUA? Quando é que a banca italiana implode mesmo?

Volto a lembrar: é impossível retirar a incerteza do processo de investimento. Existirão sempre dúvidas na tomada de decisão.

Isso não significa que deve negligenciar o poder de multiplicação do mercado acionista.

_______________________________________________________________________________________________________________________________________

Recomendado para si…

Proteja-se da próxima queda de um banco

Não vai ouvir isto nem da boca do seu gestor de conta nem de alguém do governo. Da mesma forma que não encontrará esta informação nem na imprensa nem na televisão.

Descubra AQUI o segredo para a sua proteção.

________________________________________________________________________________________________________________________________________

04:00 - Pequena porção

O melhor de investir é que precisa apenas de entender uma pequena porção para ser um investidor bem-sucedido.

Diversificar amplamente, manter os custos baixos, reequilibrar periodicamente e ser paciente.

A paciência é mais importante do que inteligência – o que explica por que é que a maioria dos investidores não consegue os retornos que o mercado oferece desafogadamente.

Recomendo que leia também…

:. Com esta estratégia o seu capital está garantido

:. Tem ações do BCP na sua carteira?

:. Siga o exemplo de quem ganhou 10x mais

Pedro Gonçalves, Editor-sénior

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. É actualmente Editor-sénior da Empiricus Portugal.