Quando aumenta a pressão

Até há bem pouco tempo, a vida do Governo corria de feição: bons números do PIB, alta taxa de aprovação, elogios vindos da Europa…de repente, mudou tudo.

Maior Menor
Por 11 de julho de 2017

.: Think different
.: No melhor pano cai a nódoa
.: Never forget
.: Mais uma rodada
.: Na corda bamba

00:12 - Think different

Detesto o consenso.

Aliás, aqui na Empiricus detestamos todos. Defendemos (e exercemos) o direito de sermos diferentes; de pensarmos diferente, de sermos disruptivos no melhor sentido da palavra.

Procuramos a autenticidade acima de tudo.

Paradoxalmente, vivemos tempos curiosos: num mundo em que as fake news fazem o noticiário, pensar contra a corrente é pecado mortal.

E só piorou em tempos recentes.

O que é sinal de que ainda há muito por fazer…

_____________________________________________________________________________________________________

Recomendado para si…

Com a OPA sobre o Montepio, a banca portuguesa está a desaparecer do PSI-20. Será este o mesmo destino do BCP? Nós achamos que não, mas venha conhecer em pormenor o nosso relatório AQUI.

_____________________________________________________________________________________________________

01:30 - No melhor pano cai a nódoa

Até há bem pouco tempo, a vida do Governo corria de feição: bons números do PIB, alta taxa de aprovação, elogios vindos da Europa…

…de repente, mudou tudo.

Caíram três secretários de Estado.

Subsiste uma imagem de incompetência em relação à atuação do Estado em Pedrógão e em Tancos.

E mesmo na economia, as importações de mercadorias voltaram a acelerar, de tal forma que o saldo comercial continua a agravar-se perigosamente.

Vale a pena lembrar que foi este tipo de desequilíbrios que culminaram na crise da dívida em 2011

02:10 - Never forget

Todos estes problemas irão bater à porta do contribuinte, mais cedo ou mais tarde…

Um dos que ainda não tem resolução à vista…

… é o setor financeiro.

Nem por acaso, Paulo Macedo, presidente da CGD, afirmou que “todos os bancos vão precisar de mais capital daqui a seis meses”.

Mais dinheiro dos acionistas ou através da venda de ativos e outras operações que permitam esse reforço.

Se recuperarmos as suas palavras de há um mês fica mais fácil perceber a mensagem: “se a CGD não der lucro tem que ir pedir mais dinheiro aos contribuintes”.

Preto no branco.

03:12 - Mais uma rodada

Por falar em doses de veracidade, o mercado deu uma pausa nas correções.

Painel de cotações verde hoje, aqui e lá fora.

A contração da liquidez mundial é o tema principal, num dia em que vários membros dos bancos centrais vão falar sobre a política monetária dos dois lados do Atlântico…

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, penso eu.

Continuo a achar que os bancos centrais ainda não têm condições para retirar os estímulos e subir taxas de juro rapidamente.

Temos, de qualquer forma, uma pequena amostra do impacto no valor dos ativos que pode resultar do aumento do custo de capital.

04:09 - Na corda bamba

Vivemos um momento de descomunal liquidez global.

Os retornos dos ativos ditos “seguros” pelo mundo fora são simplesmente punitivos, portanto o dinheiro corre em direção a apostas mais ousadas.

É o já famoso TINA: “There Is No Alternative”.

A crença generalizada de que, simplesmente, não há alternativas é a desculpa perfeita para se fazerem parvoíces.

Exemplos não faltam.

Nesse caso, o melhor mesmo é ficar-se pelas empresas chatas e rentáveis que o Diogo recomenda n’As Melhores Ações da Bolsa.

Pedro Gonçalves, Editor-sénior

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. É actualmente Editor-sénior da Empiricus Portugal.