Uma novela bem portuguesa

Já se tornou hábito a troca de galhardetes entre S. Bento e Bruxelas. A cada Orçamento chegam novos avisos à navegação. É uma décima aqui, é uma décima acolá.

Maior Menor
Por 28 de Outubro de 2016

.: Dei-te Quase Tudo
.: O Beijo do Escorpião
.: Destinos Cruzados
.: Mundo ao Contrário
.: Remédio Santo

00:12 - Dei-te Quase Tudo

Já se tornou hábito a troca de galhardetes entre S. Bento e Bruxelas.

A cada Orçamento chegam novos avisos à navegação. É uma décima aqui, é uma décima acolá.

A conta nunca fecha. Mas isso, como dizia o outro, quem não chora, não mama.

Mário Centeno, que, convenhamos, tem o jogo de cintura de uma viga de betão, tenta desviar-se das balas o melhor que consegue.

Seja martelando o Excel, seja apontando o dedo para um fantasma imaginário, que aparentemente corre em pano de fundo…

Habitualmente, algum flagelo económico internacional (alguém ainda se lembra do impacto do Brexit no PIB português em 2016?) ou uma herança malfadada de um Governo alaranjado.

01:34 - O Beijo do Escorpião

Depois do episódio “perdível” das sanções, chega-nos um novo capítulo: “O Beijo do Escorpião”. Mas poderia chamar-se também “As Cartas de Bruxelas”.

O Governo enviou o esboço do orçamento à Comissão e recebeu de volta uma cartinha a pedir esclarecimentos.

Na correspondência, a Comissão identifica um desvio significativo em relação à meta na redução do défice estrutural (de 0,5 p.p.).

Essa discrepância deriva de um cenário macroeconómico do Governo mais otimista que os dados da Comissão. Naturalmente, os oficiais europeus querem perceber por quê…

Como último pedido, os líderes europeus gostariam de saber como está a correr a execução orçamental de 2016.

Se a Comissão não facilitar, então aguarde por mais impostos…

02:15 - Destinos Cruzados

A propósito das discussões sobre o orçamento em prol da melhoria do rácio de dívida/PIB da República Portuguesa…

As obrigações mandam lembranças.

Depois do alívio obtido com a manutenção do rating da dívida em grau de investimento pela DBRS, as yields a 10 anos voltam a dizer olá…

De 3,10% saltam para 3,30%…

O risco país alarga, e não fosse a intervenção de Mario Draghi já estaríamos em apuros.

03:16 - Mundo ao Contrário

Lá fora, o dia é de reflexão. Sem novidades materiais da esfera política, sobram as especulações e a ansiedade em torno da política monetária.

Estão preocupados um pouco mais com a potencial elevação do juro básico norte-americano. O cenário traz certa aversão ao risco para os mercados nesta sexta-feira, reforçada por ambiente externo complicado.

Na bolsa, investidores mostram pouca tolerância para deceções na divulgação de resultados trimestrais, com as ações de empresas que falham as estimativas a serem severamente punidas.

O fabricante de insulina Novo Nordisk e a empresa de segurança Gemalto caem mais de 10 por cento após resultados trimestrais desapontantes.

04:34 - Remédio Santo

Volta e meia recebo mensagens de pessoas que querem investir.

Infelizmente a imagem de que é fácil ganhar muito dinheiro rapidamente no mercado financeiro é forte.

Esquece-se, entretanto, que as oportunidades de maior retorno trazem consigo riscos que pessoas comuns simplesmente não podem correr.

De facto, apenas uma carteira bem balanceada entre ativos negativamente correlacionados consegue aguentar o teste do tempo.

Isso também significa que de vez em quando terá de abdicar de um pouco de ganho, para defender o seu património contra um infortúnio. Não existe um caminho curto para o sucesso financeiro.

Existem perdas e ganhos durante o percurso. Mas no final, numa carteira bem diversificada, os ganhos tendem a ser maiores que as perdas.

Como este processo leva o seu tempo, a Empiricus sentiu-se impelida a criar conteúdo que ajude o investidor comum a navegar nos mercados financeiros.

Para ser sincero, sentimos esse chamamento há vários meses.

Depois de feita toda a investigação necessária, estamos prontos para revelar este nosso novo projeto. Aguarde por novidades na próxima semana.

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.