Vira o disco e toca o mesmo

António Costa multiplica-se em esforços de expansão de competências…Desta vez, reivindicou o seu papel nas negociações entre os acionistas do BPI. Que por enquanto, ainda continuam sem fechar o divórcio (Caixabank e BPI).

Maior Menor
Por 24 de Março de 2016

.: Tolerância de ponto
.: Grammy awards
.: Sushi fusão
.: All over the place
.: Braço de ferro

00:12 - Tolerância de ponto

Investidores aproveitam o fim-de-semana prolongado para meter férias…

DAX -1%, CAC -1,5%, IBEX -1%, por aí fora…

Porquê?

Na falta de razões para subir, a opção é sempre vender.

Mercados acionistas não gostam muito de lateralizar.

Em direção à baliza adversária ou joga pra canto, aqui não há rodriguinhos…

 

00:59 - Grammy awards

O jogador do mês é o PSI20.

Arrefeceu o stress dos juros e o flow de notícias virou música para os operadores de mercado.

Ora bem…

Na letra:

Empresas anunciam dividendos chorudos (no total já são mais de €2,3 mil milhões).

A última a veicular foi a Portucel (mais €170 milhões para distribuir pelos acionistas).

No ritmo:

A batida de consolidação no setor financeiro faz dançar investidores nacionais e atrai especulação forasteira.

M5M24mar

Fonte: Bloomberg

01:34 - Sushi fusão

O fenómeno de consolidação bancária é o grande catalisador para o setor:

Banco Popolare Di Milano (+1,62%) e o Banco Popolare (+2,41%) chegaram a acordo para uma fusão.

Vão criar a terceira maior instituição de crédito transalpina…

Obedecem aos desejos da autoridade bancária europeia: Draghi quer maiores instituições financeiras e mais robustas.

Mas quando dois bancos maus se juntam, ficamos só com um banco grande e mau.

Parece mais uma conta de dividir que de multiplicação (de valor).

02:45 - All over the place

Por falar em operações matemáticas….

António Costa multiplica-se em esforços de expansão de competências…

Desta vez, reivindicou o seu papel nas negociações entre os acionistas do BPI.

Que por enquanto, ainda continuam sem fechar o divórcio (Caixabank e BPI).

Não sei o que é que é pior: poder político imiscuído com interesses privados ou a presidência da república ainda aplaudir a situação…

 

03:55 - Braço de ferro

Já sabemos, é o portuguese way…

Vamos aos fatos:

O antigo presidente da Associação Portuguesa de Bancos, João Salgueiro, revelou que as autoridades europeias pressionaram o BCP a não reforçar o capital africano no banco.

Ou seja, esta (suposta) intervenção do Governo é só mais um braço de ferro…

Comissão Europeia quer investidores europeus! À falta de nacionais, os espanhóis servem perfeitamente…

Os portugueses, em estilo de Nuno Álvares Pereira, montam a tática do quadrado aos castelhanos e estendem a passadeira para o capital angolano…

M5M24mar2

Pedro Gonçalves, Editor-chefe

Pedro Gonçalves foi Portfolio Manager no Millennium Investment Banking. É licenciado em Finanças pelo ISCTE – Business School e mestre em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa. Atualmente, é editor-chefe da Empiricus Portugal.