Agrupamento de Ações

Voltar

É simplesmente a união de ações. Para o acionista não muda nada. Por exemplo, se o papel sofrer um agrupamento de 1:5, quem detinha 100 ações cotadas a €5 passará a ter 20 ações cotadas a €25.

Na prática, o agrupamento tem o objetivo de reduzir a volatilidade do título. O racional é que se os preços das ações estão desvalorizados, o agrupamento é usado como um meio de mitigar movimentos bruscos na variação dos ativos.

A operação não traz benefício algum para o acionista. É meramente uma medida contabilística.

Ao contrário do desdobramento de ações, o agrupamento tem o efeito de redução de liquidez do papel, já que, com o aumento da cotação, o número de títulos negociados em bolsa tende a diminuir.

  •  
  •